Em seu 1º Fórum o Observatório da Saúde discute sobre o papel da mídia na saúde

Após seis meses do início das atividades, foi organizado o 1º Fórum Observatório da Saúde, no dia 27 de setembro, com o intuito de discutir “O papel dos meios de comunicação na promoção da saúde”. Depois de recepcionados pelos organizadores do evento, os participantes puderam se acomodar no auditório da Fecomércio (RJ) para participar de um debate entre médicos e profissionais de comunicação, convidados para discutir o tema. As perguntas direcionadas aos participantes foram moderadas por Alice Selles, representante do Observatório da Saúde e da Universidade Castelo Branco, que é parceira da entidade.

Segundo o Dr. Márcio Meirelles, um dos coordenadores do movimento, a ideia do evento surgiu pela necessidade de mudança na visão imediatista da cura, incentivando uma cultura diferente, de prevenção à saúde a partir de cuidados gerais por parte do indivíduo. “Afinal, que cultura queremos: da saúde ou da doença?” A pergunta lançada pelo Dr. Meirelles pode ser considerada propulsora para a conversa sobre os caminhos que a mídia pode trilhar na difusão de uma nova, e preventiva, cultura da saúde.

No primeiro bloco de discussão, Alice Selles direcionou alguns assuntos, ligados ao tema, aos debatedores:

- Saúde, direito de todos e obrigação do Estado

- A privacidade do paciente e de seus familiares

- Notícias boas ou ruins na Saúde, o que o público prefere?

O jornalista, e assessor de imprensa, Ricardo Machado representou os comunicadores e pontuou a importância da mídia acerca do tema. “Essa abordagem sobre o assunto é importante para gerar discussão e estabelecer agenda na imprensa, para conseguir caminhos para essas demandas.”

O Dr. Nilton Richa, médico do trabalho e professor da UFRJ, falou sobre a necessidade de uma visão sistêmica da saúde, porque todas as áreas tem impacto na saúde. O Dr. Joel Keravec, Diretor Executivo Regional da DNDi, comentou o uso da mídia na difusão de ideias e conceitos relacionados à saúde. O Dr. Luiz Roberto Londres, Diretor-Presidente da Clínica São Vicente e do Instituto de Medicina e Cidadania, no contexto de que se deve ter um entendimento do conceito da Medicina, citou a importância de uma boa anamnese como forma de exercer uma medicina preventiva.

Antes de começar o segundo bloco, após um coffee break, o professor Sebastião Amoêdo, idealizador do Observatório da Saúde, foi homenageado com uma placa de condecoração. Logo depois, antes de abrir para a interação com os convidados, a moderadora Alice Selles, promoveu mais alguns assuntos:

- Que sistema de Saúde nós queremos ter?

- A responsabilidade do jornalista na apuração e divulgação de denúncias em Saúde

- Como os meios de comunicação podem ajudar a área de Saúde?

A ideia de mudar o conceito de saúde, e da Medicina que se pratica atualmente, norteou o debate sobre o papel da mídia na promoção da saúde, que tem a função de decodificar as informações relacionadas de forma clara, exata e objetiva ao público. O objetivo é mudar a imagem da Medicina que visa à doença e focar na educação e na orientação do cidadão para que ele mesmo preserve sua saúde com atitudes práticas do dia a dia, adotando uma alimentação saudável e a prática de exercícios regulares.

Cada convidado pôde contribuir, dentro de sua área de atuação, mostrando, com vivências da profissão, como melhorar a compreensão das pessoas com a ajuda da mídia; para que a população adote uma nova cultura: a saúde não é ausência de doença, mas um estado de bem estar e equilíbrio físico, social e mental.